Um simples vivente

Tempo
Para trás
Para frente
E entre
Um vórtice
Azul
Ou preto
No centro
Um homem
Que observa
Os tempos voarem em círculos
Se projeta Para a frente de si
Mas não mantém isso
E solta o ar Relaxando
E parando um esforço
Então volta um pouco no tempo
Em busca de uma resposta
Encontra a felicidade em um passado
Some do tempo e do presente
E não morre
Volta aos poucos
E ajusta o sofrimento
A uma vida
Que tem em si
A perfeita harmonia
Entre tudo e nada
Em um conhecimento vasto
Do tempo
E da própria vida
O fim de um errante
E a Ascenção
De um calmo
E simples vivente


Não se esqueça de conferir o Serviço de Entrega de Poesias Musicadas do Cauê, no menu acima. Espero que gostem. Grande abraço! E continuemos a trilhar os caminhos da música e da escrita.