O medo que carregamos

O medo

Quando eu surtei,

fiquei paranóico.

E fiquei surtado por um ano, aproximadamente.

Saí viajando, sem avisar a ninguém.

Depois de um ano paranóico,

estando já em casa,

me esmurrei o dia inteiro, até ser internado.

Durante todo este momento, não havia medo em mim,

e me expus a diversos tipos de perigo.

Como o próprio viajar sem avisar a ninguém, e sem levar celular.

O medo é importante.

O  medo nos faz cuidar de nós mesmos.

Extinguir por completo a capacidade de sentir medo

traz o pior dos desesperos.

O que realmente vale a pena

é superar o medo antigo.

Aquele que está lá a anos,

e que rege o nosso viver.

É importante ter a capacidade de sentir medo

Mas ao mesmo tempo

É maravilhoso derrotar o medo que carregamos

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários em “O medo que carregamos”

  1. O medo deve ser um termômetro de nossas ações e não nosso carrasco.
    O medo é benéfico quando é a consciência que guia nossos passos. Mas quando ele se faz reitor da mente, impedindo de analisarmos racionalmente, estamos nos limitando.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s