Cristiano e o Céu

Cristiano pensava sobre o amor. Sobre o que esta palavra significa. O que é o amor? Ele chegou à conclusão de que existem vários tipos de amor: pode-se amar uma mãe, um pai, um irmão ou irmã. Estes amores são fortes. Existem também outros tipos, como o amor por um ou uma companheira. Ele olhava para o Céu enquanto pensava. Vez por outra, sentia uma resposta vinda das elevações. Cristiano precisava organizar a sua mente para entender as respostas. Estas não eram claras ou óbvias. Quando ele conseguia entender alguma resposta, sabia que naquele momento havia alcançado uma iluminação. As respostas vinham e aconteciam através dele, como se ele as traduzisse. Estas serviam a ele, o ajudavam nas suas decisões e no seu entendimento da vida. Vez por outra, o Cèu mostrava algo para ele através de movimentos em seu corpo. Às vezes depois de ter alcançado algo, superado algo, conquistado algo, quando ele ia para onde falava com o céu, este o fazia levantar os braços e fazer cara de guerreiro, expressando uma vitória que vinha de um grande desafio que havia sido superado. 

Cada dia, para ele, era uma aventura. Cada dia era dia de aprendizado. Quando não sabia o que fazer em um momento de angústia ia falar com o Céu. Às vezes o Céu não respondia, pois não era hora de respostas. E quando realmente necessário, o Céu lhe dizia o que fazer e fornecia força e vontade a ele.  Cristiano se dedicava ao que praticava. Algumas vezes, em um momento de preguiça ele falava com o Cèu, e este lhe dava vontade. O sonho de Cristiano era um dia poder compartilhar com outros o que aprendeu em suas conversas com o Céu: o que pensou por tanto tempo, tudo o que aprendeu através de pensar, agir e falar, e enfim, tudo o que praticou, e continua praticando. Se mantendo sempre presente em suas atividades, em um contato constante com o Céu. Este que o fez ver a iluminação em tudo o que existe, a cada vez que olhava a luz batendo nas árvores, a cada vez que sentia o vento, a cada vez que respirava calma e profundamente. Depois de pensar muito, ele descobriu que o amor e a felicidade são as suas forças motoras. Quando Cristiano pensou isso ele sumiu, e percebeu uma parte de si em meio a flores em um fundo azul. Fundiu-se, então, com a humanidade, com a qual neste momento era uno. Sua felicidade foi, assim, realizada. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s